Pesquisa do Procon constata que cesta básica está 2,96% mais cara com relação a fevereiro

Publicado em 13/03/2017

O Procon Municipal realizou a pesquisa de preço dos itens que compõe a cesta básica nos principais estabelecimentos comerciais da cidade. A coleta tem por base o estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), que define a mesma cesta para todo o Brasil.

 

Em janeiro, o preço médio da cesta básica era de R$254,55 e em fevereiro passou para R$255,49, uma aumento de 0,37%. Em março, a cesta continua registrando aumento, desta vez 2,96%, com preço médio de R$263,05. De acordo com a pesquisa, o menor valor encontrado para aquisição dos itens básicos é de R$232,94 e o maior é de R$282,39. O consumidor que optar pelo estabelecimento mais barato, poderá economizar até R$49,45.

 

O consumidor que recebe um salário mínimo bruto, irá desembolsar 24,86% para  compra da cesta, restando 75,14% do salário para outras despesas.

 

Alguns produtos obtiveram aumento em seu preço médio, foram eles: o quilo da tomate, que custava em média R$3,46 e esse mês passou para R$4,10, um aumento de 18%; O quilo da banana teve uma alta de 11,17%, passando de R$3,49 para R$3,88; e o quilo da batata que em fevereiro custava em torno de R$2,66 e este mês passou para R$2,90, uma aumento médio de 9,02%.

 

 

Por outro lado, alguns itens sofreram redução, entre eles o quilo do frango congelado que custava em média R$7,41 e reduziu  para R$6,78, redução de 8,50%; e o quilo do feijão reduzindo de R$4,52 para R$4,03

 

“A pesquisa constatou muitas variações de preço de um estabelecimento para outro, por essa razão, o consumidor deve pesquisar, pois já é o terceiro aumento do ano. A equipe realiza a análise estatística e compõe uma tabela com os endereços dos estabelecimentos, com o objetivo auxiliar nessas comparações, é importante que os preços sejam analisados separadamente, assim a economia poderá ser significativa”, alertou o Coordenador Executivo do Procon Municipal, Paulo Porto.

 

A pesquisa completa com análise de dados, endereços dos estabelecimentos e tabela de preços está disponível ao consumidor campinense nos links abaixo:

 

Tabela-de-Preço-Cesta-Básica-Março-1.pdf - 48 KB

 

Relatório-Cesta-Básica-Março.pdf - 657 KB

 

 

Ana Araújo
Assessoria de Comunicação